Sábado, 25 de Agosto de 2007

Ainda sou nova para pensar em casamento

Da ‘Mónica’ dos ‘Morangos com Açúcar’ não tem nada, apenas ganhou alguns tiques. Helena Costa confessa-se uma ‘maria-rapaz’ adepta incondicional do desporto e acredita que está no caminho certo. Depois de ter trabalhado na moda, começa a dar provas de que poderá ser uma referência no panorama artístico nacional.
Namora há 3 anos mas ainda não pensa em casar

Correio Vidas – As gravações da telenovela ‘Doce Fugitiva’, em que interpreta a personagem ‘Patrícia’, já terminaram. O que pretende fazer a seguir?

Helena Costa – Estou indecisa. Ou vou para o estrangeiro tirar um curso, ou me inscrevo em Arquitectura. Posso ainda fazer teatro ou um outro projecto que apareça. Tenho feito alguns castings para televisão. Já tive uma proposta para teatro, mas tenho de pensar na minha vida.

– Mas o que lhe agradaria fazer?

– Uma telenovela em que tivesse uma personagem que me aliciasse bastante. Mas diferente da ‘Mónica’, dos ‘Morangos’.

– É visível que essa personagem não tinha nada a ver consigo...

– Nada mesmo. Adorei fazê-la, tive ataques de riso, e até ganhei alguns tiques. Na ‘Doce Fugitiva’, a personagem era mais calma, deu mais ‘pica’ porque era sincera. A ‘Mónica’ dava para brincar, mas com a ‘Patrícia’ tinha de mostrar credibilidade. E isso foi complicado.

– Os ‘Morangos’ foi o melhor que lhe aconteceu na carreira?

– Não sei se posso dizer isso. Foi bom, uma rampa de lançamento. Conheci muitas pessoas, fiz grandes amigos. Ainda me dou diariamente com alguns deles, como o João Cajuda, Jessica Athayde, Marta Faial, Joana Duarte. Também porque durante meio ano ainda fizemos uma peça que se chamava ‘Ao Ritmo da Amizade’, o que nos juntava todos os dias.

– É conhecida como actriz mas foi na moda que começou a trabalhar...

– Durante nove anos fui manequim, andei pelo estrangeiro, mas sempre na esperança de um dia tornar-me actriz.

– Qual foi o trabalho que mais gostou de fazer como manequim?

– Já fiz de tudo, desde Portugal Fashion, Moda Lisboa, anúncios, catálogos. Mas adorei duas viagens: a primeira e a última. À Grécia, tinha eu 17 anos, onde fiquei lá um mês e aprendi muita coisa. Fui num intercâmbio de manequins. A última foi à Coreia do Sul, tinha 22 anos, onde me diverti muito. ‘Bate’ umas saudades enormes cada vez que me lembro.

– Os seus pais, apesar de separados, aceitam bem a sua entrada na moda?

– Sempre acharam que eu tinha capacidade. Era muito vaidosa, apesar de ser um pouco ‘maria-rapaz’. Apenas me pediram para eu tirar o 12.º ano, e eu sempre fui muito responsável. Disse-lhes que ia tirar um curso e vou fazê-lo. O problema é que tenho tido sempre trabalhos e esse projecto tem sido adiado.

– E na representação?

– A minha mãe adora. O meu pai é mais do tipo de dizer ’vê lá se é isto que queres para a carreira, cuidado com os estudos’.

– Durante um ano ainda frequentou a universidade, para tirar Desporto. Depois desistiu...

– Se não tiver projectos, estou a pensar inscrever-me ainda neste ano no horário pós-laboral. No entanto, como não existe Desporto nesse horário, talvez vá para Arquitectura, área de que sempre gostei. Assim posso conciliar uma novela com os estudos.

– Diz que era ‘maria-rapaz’...

– Sempre fui muito irrequieta, com um estilo ‘maria-rapaz’, talvez por estar na área do Desporto na secundária. Vestia-me com uma ‘sweat’ e calças de ganga.

– Mas hoje é precisamente o contrário, é muito feminina...

– Claro, pois o público avalia-nos todos os dias, há que ter cuidado.

– Vive sozinha há alguns anos. Custou deixar a casa dos pais?

– Claro que não. Já era responsável e consegui a independência total. A partir do momento em que fui para o estrangeiro sozinha, com 17 anos, também cresci um pouco. Regressei sã e salva, melhor do que estava. Agora tenho uma vida mais stressante, se calhar precisava mais do apoio dos pais, apetecia-me chegar a casa e ter a comida feita.

– Não gosta de viver sozinha?

– Gosto. Já partilhei casa durante muitos anos. Na minha primeira casa em Lisboa éramos cinco amigas, cada uma com a sua mania. Depois fui para uma residência do Erasmus, no tempo da faculdade, era tudo a falar alto, diverti-me imenso. Mas depois decidi ir viver sozinha. Gosto de ter as minhas coisas, fazer os meus horários, ter as coisas arrumadas. Apenas sinto a falta da família, apesar de a minha irmã viver em Carcavelos.

– Que recorda da sua infância?

– De brincar muito com a minha prima, da escola, de querer ser manequim. Não o dizia a ninguém, guardava para mim. Lembro-me de uma vez vir de Braga, depois de os meus pais me terem inscrito no curso de manequins e de eu vir no carro a dizer que estava ansiosa por contar às minhas amigas. Os meus pais pararam o carro e disseram que eu não ia dizer a ninguém. ‘Se tiveres sorte, tens, mas isso não é virtude nenhuma’, afirmaram. E isso hoje faz sentido na minha cabeça. Nesse aspecto sempre foram impecáveis, nunca me deixaram deslumbrar-me.

– Tem namorado? Ele também é actor?

– Tenho, mas não é do meio.

– Não sendo do meio, compreende a sua profissão?

– Cada vez mais. Conheci-o um ano antes de entrar nos ‘Morangos’. Namoro há três anos e ele chama-se Pedro.

– É uma relação estável mas não vive com ele?

– Ele ainda vive com os pais.

– Não está interessada em dar esse passo?

– Ele se calhar vai para o estrangeiro tirar um curso, depois quer tirar o mestrado, por isso acho que ainda não é a altura certa.

– Não fazem questão de aparecer juntos em público...

– Ele acha uma seca aparecer nos eventos, ter de posar para a fotografia. Eu vou porque gosto de estar com os amigos.

– O Pedro é a pessoa certa?

– Talvez. Nunca se sabe.

– Sonha com o casamento?

– Sim, de forma tradicional. O que interessa é ter vida estável, casar, ter filhos. Mas acho que ainda sou nova.

– Como é o seu dia-a-dia?

– Quero sempre fazer 20 coisas ao mesmo tempo. Vivo sozinha, tenho de limpar, cozinhar, pagar coisas. Sou completamente independente há quatro anos, a moda proporcionou-me isso, mas não aconselho ninguém a viver só da moda.

– Lembra-se do que comprou com o primeiro ordenado?

– Foram cem mil escudos. Comprei um rádio-leitor de cassetes para a minha irmã e uma depiladora. Senti-me a maior do Mundo.

REFLEXO

Correio Vidas – O que vê quando se olha ao espelho?

Helena Costa – Vejo a Helena Costa e se estou bem ou não.

– Gosta do que vê?

– Depende da altura dos dias, se estou maquilhada ou não. Sem maquilhagem estou mais bem-disposta.

– Alguma vez lhe apeteceu partir o espelho?

– Não, até porque dá azar.

– Quem é que gostava de ver reflectido no espelho?

– A Sarah Jessica Parker, no que diz respeito à carreira, postura, estilo. Isto apesar de nunca ter ambicionado ser parecida com alguém.

– Um momento marcante na sua vida?

– Trabalhar para a Grécia durante um mês. Tinha 17 anos. Foi a primeira vez que viajei para o estrangeiro como manequim.

– Uma pessoa de referência?

– O meu pai. As meninas são mais apegadas aos pais.

– Qualidade e defeito?

– A qualidade é ter um bom coração, mole de mais às vezes, querer ajudar. Defeitos tenho dois: um é o mau-humor matinal, e, às vezes, nem me suporto a mim mesma. Mas faço meia-dúzia de coisas e dez minutos depois já está tudo bem; a outra é ser muito exigente por achar que nunca nada está perfeito. Isso chateia-me.

– Preocupa-se muito com a imagem?

– Um pouco, mas não sou obcecada.

– Mudava alguma coisa na sua imagem?

– Não. Coloquei aparelho nos dentes mas foi por questões de saúde.

PERFIL

Nasceu a 13 de Agosto de 1982, em Santo Tirso, porque, segundo conta, a mãe tinha lá uma amiga que era enfermeira. Aos 14 anos, deixou Vizela para viver na Figueira da Foz, após a separação dos pais. Nessa altura decidiu tirar um curso de representação e de moda, em Braga. “Depois fui para Lisboa, onde imediatamente entrei para a agência Central Models, mas acharam que era muito nova. Fui para a Elite, onde estou há dez anos”, conta Helena Costa, revelando: “Durante nove anos fui manequim, andei pelo estrangeiro, mas sempre na esperança de um dia tornar-me actriz.” Aos 20 anos, participou em alguns programas no Canal Viver e SMS TV. Um ano depois, ingressa na universidade para se formar em Desporto. No entanto, achou por bem desistir no segundo ano. Em 2005, surgiu a oportunidade de participar na série da TVI ‘Morangos com Açúcar’. Até fazer parte do elenco da novela ‘Doce Fugitiva’, Helena Costa fez ainda uma peça de teatro, ‘Ao Ritmo da Amizade’. A actriz escolheu que o seu olhar fosse fotografado no seu espelho de mala.

Quarta-feira, 22 de Agosto de 2007

"Ilha dos amores" lidera audiências durante férias de Verão

A época estival não parece afectar os resultados da mais bem sucedida produção da TVI. Durante o mês de Agosto, "Ilha dos amores" registou 14,9% de audiência, uma ligeira descida no número de espectadores, 0,3%, em comparação com Junho e Julho.

A ficção, protagonizada por Sofia Alves e Marco D'Almeida e que deve ficar no ar até Novembro, conseguiu, porém, aumentar a quota de audiências ("share"), calculada entre o número de pessoas que vêem televisão num determinado momento, para 42,2%; uma média apenas ultrapassada pela alcançada no primeiro mês de emissões da novela.

Segundo dados da Mediamonitor, do grupo Marktest, "Ilha dos amores" foi o programa mais visto da maior parte dos dias de Agosto, sendo apenas superada por jogos de futebol, como por exemplo o do último domingo entre o Sporting de Braga e o FC Porto.

Quanto à comparação com a média da estação do mês de Julho, a novela ultrapassa largamente estes valores em horário nobre, a TVI alcançou 11,6 de audiência e 34,7% de "share", enquanto na média diária registou 4,2% e 29,9%, respectivamente.

No que diz respeito ao perfil dos espectadores, é no Interior que "Ilha dos amores" conquista mais público, 26,6%. A percentagem é mais pequena no Grande Porto, 10,7%. As mulheres, 60,4%, estão muito distanciadas do público masculino, 39,6%. Na divisão por idades, os espectadores com mais de 64 anos recolhem 26,4% da audiência, e é na faixa etária dos 25 aos 34 anos que a ficção é menos popular, 9,3%. A separação por classes socioeconómicas indica que a classe D (baixa) é a que vê mais a novela (34,8%) e a A/B (alta e média-alta) a que vê menos (10,3%).


"Ilha dos amores" lidera audiências durante férias de Verão

O nome provisório começou por ser "Ok, ko" mas a próxima novela da estação de Queluz, a estrear no próximo mês chama-se "Deixa-me amar-te", conforme o JN confirmou junto da TVI.

Protagonizada por Paula Lobo Antunes e Paulo Pires, a substituta de "Doce fugitiva" é adaptada de um formato argentino intitulado "Sos mi vida". O argumento original conta a história de uma lutadora de kickboxing que, devido a uma lesão, decide mudar de vida e acaba a trabalhar para uma fundação que ajuda crianças abandonadas. Ali acaba por se apaixonar por um empresário de sucesso que também colabora com a organização. Mas nem tudo corre de feição. Ambos estão comprometidos com outras pessoas, que os vão tentar separar, existindo ainda outros personagens ambiciosos que pretendem ficar com a fortuna do empresário.

JN
Segunda-feira, 30 de Julho de 2007

Maria João Luís: Extravagância foi um risco

A actriz Maria João Luís que dá vida a Natália de Noronha, a personagem mais bizarra, colorida e divertida de ‘Doce Fugitiva’, chega ao fim da novela cansada, mas feliz por ter “arriscado” na composição da personagem que arrancou gargalhas e elogios aos telespectadores da TVI.

Maria João Luís em 'Doce Fugitiva'

"Diverti-me imenso a fazer o papel da vilã que pôs as pessoas a rir em casa. Entendi que era preciso dar um lado de comédia ao desempenho da personagem, porque a vida não pode ser como estamos habituados a vê-la e a vivê-la. Era um risco fazer a Natália com aquele penteado louco, aquela postura, mas essa margem de risco resultou e foi muito aliciante para mim enquanto actriz”, diz Maria João Luís, sentada no Estádio de Alvalade, onde decorreram as gravações das últimas cena de ‘Doce Fugitiva’. “Divertido” e “ intenso”, é assim que a conhecida actriz caracteriza este seu trabalho para a TVI, uma produção que, diz, “marcou a ficção em Portugal”.


PAPEL DIVERTIDO

“Apostou-se numa novela mais cómica e esta conseguiu manter a graça e a vivacidade ao longo de mais de 200 episódios. Isto é fantástico. Houve gente que me confessou rir-se agarrado à barriga. Há pessoas que na rua ou no café se cruzam comigo e riem. Não dizem nada, mas riem. Espero divertir-me noutra novela como me diverti nesta”, afirma a actriz, de 43 anos, que confessou “ter-se despedido das gravações e dos colegas com “muitas, muitas lágrimas”. Apesar de manter segredo quanto ao desfecho romântico da sua personagem, tudo leva a crer que a exótica Natália termine o enredo ao lado do motorista Américo (Paulo Oom).

Antes de partir para o Algarve, destino de férias, a actriz, que se libertou já da sua personagem, revela que a única recordação que vai manter de Natália de Noronha será o cabelo loiro. “Vou continuar platinada”, contou. Com três filhos ainda pequenos, e espartilhada entre dez meses de gravações e a exibição de uma peça de teatro que a vai levar em Setembro ao Brasil, a actriz Maria João Luís revela que, agora que a novela chegou ao fim, propostas de trabalho não lhe faltam.

CONVITES DE TRABALHO

“Tenho imensos convites para cinema e televisão, todos eles muito aliciantes. Estou a ponderar qual o caminho a seguir, porque estou muito indecisa. É que tenho muito bom cinema, muito bom teatro e boa televisão para fazer.... Creio que vai ser o horário de trabalho, a dimensão do projecto e a importância da personagem que vai ditar a minha opção”, explicou Maria João Luís à Correio TV.

NOVELA ENCERRA NO ESTÁDIO DO SPORTING

ELENCO JUNTA-SE PARA DESPEDIDA

Foi o colorido e o enquadramento do Estádio de Alvalade que levou a TVI a optar por gravar no local as últimas cenas da novela ‘Doce Fugitiva’. E, foi no meio da bancada, com 300 figurantes a fazerem-se passar por adeptos sportinguistas, que Leonardo (Rodrigo Menezes) reencontrou Estrelinha e a pediu em casamento. O restante elenco marcou presença no local.

TRAJES ELEGANTES

Em ‘Doce Fugitiva’, o guarda-roupa de Natália primou pelo requinte e elegância. Cativada por alguns dos modelos que envergou, Maria João Luís conta que ficou com algumas dessas peças.

Correio TV

Sábado, 17 de Março de 2007

"Estrelinha" esteve aos beijos no Mercado do Bolhão, no Porto

Beijos e mais beijos trocaram "Estrelinha" e "Leonardo", na escadaria principal do mercado do Bolhão, até conseguir que o pico do romance entre as personagens de "Doce fugitiva" ficasse gravado de modo a deixar a realizadora satisfeita. Nessa altura, passava do meio-dia e tanto Rita Pereira como Rodrigo Meneses, os protagonistas da novela da TVI que teve cenas gravadas no Porto durante dois dias, mostravam já sinais de cansaço.



"Eles devem estar ali cheios de calor, que este sol é lume", compreendia uma cliente do mercado que, como muitas outras pessoas, se deixou ficar para assistir à filmagem. Rita Pereira, de boné e casaco, fez várias correrias pelo mercado para cumprir o guião "Estrelinha" vai para o Porto em busca de uma nova vida, mas é interceptada por "Leonardo" no Bolhão, de quem foge espavorida.

Finalmente, uma queda do rapaz acende-lhe a compaixão e algo mais "Leonardo" declara-se enamorado e "Estrelinha" cede-lhe um prolongado beijo. "Larga o osso!", não se escusou de ouvir Rodrigo Meneses, durante a primeira tentativa de gravar a cena, várias vezes repetida. Tantas que o povo - sem arredar pé, apesar do generoso sol primaveril cobrar suores - já se dispersava a observar a equipa de produção. "A gente vê a novela, pensa que são só eles os dois e há tanta gente à volta", dizia uma mulher.

Ao longo da manhã, Rita Pereira não teve como escapar dos beijinhos e autógrafos. Nem se esforçou para isso, aliás, foi sempre atenciosa. "Estão bem um para o outro, calharam bem", atirou-lhe uma idosa, sorridente. Rita apanhou a deixa "Calha bem? Acha que dava filhos bonitos?", explicando à mesma senhora, penosa por vê-la tão magrinha, que "a televisão engorda cinco quilos".

No corredor das frutas, onde um carrinho com laranjas foi colocado de propósito para servir de obstáculo a "Leonardo", muita gente resistia às ordens da produção para circular como se nada fosse. "Ai, a Estrelinha, que linda que é!", ouviu-se, saltando logo o ricochete "Ele é que é lindo, meu Deus. Ó meu amorzinho, deixa-me dar-te um beijinho!".

O pregão "olha o quilinho do moranguinho a um euro" foi a banda sonora da primeira parte da perseguição de "Leonardo" a "Estrelinha", gravada desde a entrada sul até à escadaria da zona norte. A agitação e a frescura dos morangos deram a manhã a render à vendedora, que ainda garantiu figuração na cena. "Não olhem para as câmaras, circulem", insistia a produção, mas foi difícil convencer os curiosos a fazer de si próprios.

"Então vêm aqui filmar a novela e não querem que as pessoas fiquem a ver, era o que faltava", ripostou uma cliente. Mas houve quem não concedesse dois segundos ao momento. "'Filmainde, filmainde', que eu tenho que ir buscar flores", suspirou outra freguesa, furando o ajuntamento.

JN

Domingo, 22 de Outubro de 2006

O hábito não faz a freira de Doce Fugitiva

'Valeu a pena ter perdido o bilhete de avião para Nova Iorque'

Padres e frades, freiras e noviças, ingénuos ou rebeldes, povoam os enredos da ficção nacional. ‘Doce Fugitiva’, novela a estrear na TVI, recorre à receita já usada em ‘O Processo dos Távora’, na RTP1, ‘O Crime do Padre Amaro’, na SIC, e ‘Anjo Selvagem’, na TVI, onde as figuras de personagens religiosas são uma presença incontornável. Mas estarão todos de acordo com este recurso?

A vida de Estrela, a protagonista da estória de ‘Doce Fugitiva’ muda no dia em que, para fugir à prisão, troca de identidade com uma freira, vítima mortal de um acidente de viação. Com o hábito, Estrela assume também a profissão da falecida freira, a de mestre em doçaria conventual. Ao longo da narrativa, a jovem, em fuga permanente às autoridades, vai ter de engendrar muitos planos para tentar ser credível e conseguir manter o seu disfarce religioso.

“A Estrela não é freira na realidade, mas vai ter de lidar com o disfarce. E a cada gesto e em cada frase terá de lembrar-se deste facto. E como esta situação é muito difícil, a Estrela vai dar muita barraca”, conta Rita Pereira, a actriz que veste a pele da personagem. O recurso às personagens religiosas é recorrente na ficção nacional. Recorde-se o êxito que foi ‘Anjo Selvagem’, na TVI, cuja protagonista, Mariana (Paula Neves) nasceu e cresceu num convento. No núcleo das figuras religiosas sobressaía o Padre Manuel (Canto e Castro), a Madre Superiora (Maria Dulce) e a Irmã Bochechas (Cristina Cavalinhos).

A Maria Dulce a sua personagem de ‘Anjo Selvagem’, a Madre Superiora do convento, só lhe traz “boas recordações”. E conta um episódio passado no Alentejo, onde mora, uns dias depois de a telenovela ter terminado: “Ia eu de carro quando sou apanhada numa operação stop. O agente, um homem dos seus 40 e tal anos, pede-me os documentos do automóvel, dá uma volta ao veículo, aproxima-se de mim, e devolve-me os documentos dizendo: “A sua bênção Madre Superiora”. Ao que eu respondi: “Deus te abençoe meu filho”. Ao mesmo tempo fiz-lhe o sinal da cruz. E ele remata: “Pode seguir”. E eu segui viagem. Acho que cada um de nós se deve ter ficado a rir, ele na estrada, eu dentro do meu carro”.

A conhecida actriz, que acha “interessante o recurso às figuras religiosas na ficção”, conta que interpretou muitas vezes estes papéis. “Em Espanha fiz umas duas ou três personagens religiosas, e em Portugal fui muitas vezes madre e freira no teatro, no cinema e na televisão. Desde que esses personagens tenham conteúdo e estejam inseridos num contexto, faz todo o sentido recorrer a elas”. Também ‘Olhos de Água’, outra produção da TVI, tinha uma personagem religiosa no seu enredo, o Padre Carlos, personagem interpretada por Tozé Martinho. A propósito deste recurso da ficção, o actor e autor diz à Correio TV que ele tem “a obrigação de já não chocar ninguém. E acrescenta: “Apesar de não conhecer a estória de ‘Doce Fugitiva’, acho que não virá daí mal ao Mundo”.

O Padre José Borga sublinha que “os telespectadores já estão habituados à inclusão de personagens religiosas na ficção”. “Os padres e as freiras são estereótipos que servem para o público perceber o estatuto profissional das personagens. E a novela vale o que vale. Mas se o disfarce funciona significa que a interpretação é credível”. Já o Padre Vítor Melícias entende que “a ficção quanto mais ficcionada é, mais simpática é e não estorva nada”. Todavia, este porta-voz da Igreja levanta uma questão jurídica: “Está previsto no código penal que usar fardas sem autorização é crime. Vestir uma farda de militar ou uma batina de padre sem o ser é crime porque pode levantar questões morais e jurídicas”.

E enquanto o Padre António Rego prefere não se pronunciar alegando não conhecer a novela, Lili Caneças, que se assume “cristã”, “pessoa com fé” e “tolerante”, diz: “Eu jamais recorreria a uma brincadeira mais ou menos séria de modo a provocar a indignação alheia. Não se pode atingir a fé das pessoas”. Mesmo ressalvando não conhecer a estória de ‘Doce Fugitiva’, Lili Caneças recorda o filme ‘Música no Coração’, a fita mais rentável da história do cinema, onde a protagonista (Julie Andrews) era uma noviça rebelde que sai do convento para ir trabalhar em casa da abastada família Von Trapp. “Sou cristã, passei o dia 13 de Outubro em Fátima, e sou uma pessoa apaziguadora. Vivemos num mundo conflituoso e muitos são aqueles que procuram provocar polémica. Não me choca a Madonna, nem a última festa da ‘Lux’, cheia de freiras e cardeais, alguns deles um pouco andrógenos. Já não digo o mesmo do que fez Salvador Dali, um dos meus pintores preferidos”.

Quem, ao longo da sua vasta carreira, interpretou várias personagens religiosas foi o actor Ruy de Carvalho. Apesar de nunca se ter estreado como religioso em telenovela, o conhecido actor fez interpretações notáveis no teatro. Foi o caso da peça ‘O Crime da Aldeia Velha’ ou ‘A Ceia dos Cardeais’. Sobre a temática, diz Ruy de Carvalho à Correio TV: “As personagens religiosas têm quase sempre êxito na ficção. O público gosta de ver retratadas figuras católicas ou de outras religiões. E não creio que o recurso seja polémico. Se uns estão a favor e outros contra até é bom para discussão pública, desde que a intenção não seja destrutiva”.

VISUAL RENOVADO

"EMAGRECI PARA NADA"

Rita Pereira, que quis começar este trabalho com uma nova imagem, conta: “Fui acompanhada por uma nutricionista e estou numa clínica. Consegui perder mais de seis quilos. E quando chego à novela, pumba, dão-me um hábito larguíssimo para vestir... Dei-me ao trabalho de emagrecer para nada!”

TELENOVELAS 'PARA TODA A FAMÍLIA' COM MUITAS SEMELHANÇAS

DOCE FUGITIVA

É inspirada na novela argentina ‘Kachorra'.

Horário nobre: Passa às 21h30, na TVI .

Estrela: menina pobre emprega-se em casa de ricos.

Paixão: tem uma paixão pelo herdeiro rico.

Música: Rita Pereira também canta na novela.

FLORIBELLA

Baseada no original argentino ‘Floricienta’.

Horário nobre: Passa também às 21h30 na SIC.

Flor: Menina pobre trabalha como ama de uma família alemã.

Paixão: Morre de amores pelo patrão rico.

Música: Flor é a vocalista da banda.

'SEI QUE VÃO COMPARAR-ME COM A NOVELA FLOIRIBELLA'

- Como se sente no papel de protagonista da próxima novela da TVI?

Rita Pereira - Ansiosa, nervosa, feliz Mas não estou a encarar muito isto como uma protagonista, porque o núcleo da novela é pequeno e é todo ele muito forte. Somos todos protagonistas.

- Como recebeu a notícia de que tinha sido a escolhida para ‘Doce Fugitiva’?

- Estava pronta para ir para Nova Iorque fazer um curso de três meses. A minha agente contactou-me, e quando me deu a notícia fiquei uns longos minutos sem dizer nada. Como é que podia ser, eu, Rita, escolhida para protagonista? Acreditava que a TVI ia apostar numa cara nova para um produto tão forte como este. Valeu a pena ter perdido o bilhete de avião para Nova Iorque.

- Que está a pesar mais neste papel?

- A responsabilidade. Por estar a trabalhar com pessoas tão experientes, desde os técnicos aos actores. Tenho medo de os desiludir!

- Qual foi a cena mais complicada?

- As cenas onde tinha de comer chocolate. Odeio chocolate. Desde criança. Nunca comi uma barra de chocolate. Prefiro salgados. E uma das minhas personagens é mestre chocolateira e adora chocolate. Então faço um esforço enorme nas gravações para mostrar um sorriso quando provo chocolate, mas mal a cena é cortada farto-me de fazer caretas.

- E está a gostar de vestir a pele da Estrela?

- Tenho vivido intensamente o papel. Mas faço mais do que uma Estrela. Sou a Estrela, a Maria Estrela, personagem muito sonhadora, muito engraçada, a Maria dos Anjos, que é a freira, e a Estrela normal para a família e os amigos. É contagiante ver, numa só frase, a mudança de uma personagem para outra.

- Como é a Estrela?

- A minha mãe viu a apresentação e disse-me: “Finalmente puseram-te a fazer o papel que fazes sempre nos natais em casa”, e estava a referir-se às minhas brincadeiras. A Estrela é um pouco assim, brincalhona, mas ao mesmo tempo super-verdadeira, uma miúda de carne e osso. Tentei não representar a Estrela como um boneco, mas uma pessoa real, que apesar de trapalhona e de inventar imenso é alguém que qualquer um pode encontrar na rua.

- Vai ser uma tentação compará-la à ‘Floribella’, em exibição na SIC?

- Eu sei que o vão fazer, comparar-me com a ‘Floribella’ Mas verão que a novela é para um público mais velho. Admiro o trabalho da Luciana, que está a fazer um papel fantástico e conquistou imenso público. Dou-lhe os parabéns. Quanto a mim, vou lutar pelo meu projecto.

- A Estrela é cantora?

- A Estrela tem quatro músicas gravadas para a novela. Mas a Estrela é que canta, não a Rita, e quando terminar a novela não vou lançar um CD. Quero continuar a ser actriz.

PROTAGONISTA À TERCEIRA

Rita Pereira tem 24 anos e um currículo de actriz nas novelas da TVI. Estreou-se em 2004 com o papel de soraia em ‘Morangos com Açúcar’ e depois foi Vera em ‘Dei-te Quase Tudo’.

Fonte: Correio Manha

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 14 seguidores

.pesquisar

.Dezembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.Últimas:

. Ainda sou nova para pensa...

. "Ilha dos amores" lidera ...

. Maria João Luís: Extravag...

. "Estrelinha" esteve aos b...

. O hábito não faz a freira...

.arquivos

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

.tags

. a bela e o mestre(6)

. alexandra lencastre(29)

. alinne moraes(8)

. ana guiomar(5)

. angelico vieira(16)

. angelina jolie(20)

. antonio pedro cerdeira(13)

. band(8)

. barbara guimaraes(6)

. barbara norton de matos(5)

. belissima(9)

. benedita pereira(6)

. brad pitt(13)

. britney spears(8)

. canta por mim(4)

. carolina dieckmann(5)

. catarina furtado(20)

. caua reymond(9)

. cesar peixoto(11)

. christina aguilera(6)

. cinha jardim(5)

. claudia semedo(5)

. claudia vieira(28)

. cleo pires(7)

. cristiano ronaldo(29)

. dalila carmo(9)

. dança comigo(11)

. dani(7)

. daniela mercury(5)

. daniela ruah(13)

. danielle suzuki(6)

. deborah secco(7)

. deixa-me amar(9)

. diana chaves(22)

. diogo amaral(10)

. doce fugitiva(5)

. dzrt(6)

. elsa raposo(7)

. fala-me de amor(4)

. fernanda serrano(15)

. floribella(13)

. francisco adam(5)

. francisco penim(5)

. gato fedorento(7)

. globo(25)

. gloria pires(4)

. guilherme berenguer(4)

. helena isabel(4)

. henri castelli(4)

. herman josé(4)

. ilha dos amores(16)

. imperius(7)

. ines castel-branco(6)

. ines simoes(4)

. isabel figueira(34)

. ivete sangalo(4)

. jennifer lopez(5)

. jessica athaide(4)

. joana duarte(11)

. joana solnado(13)

. joão reis(9)

. jose fidalgo(6)

. juliana paes(6)

. luciana abreu(15)

. mafalda pinto(6)

. margarida vila nova(18)

. maria joão bastos(15)

. mariana monteiro(7)

. marisa cruz(8)

. melanie c(5)

. merche romero(46)

. morangos com açucar(51)

. nbp(5)

. operaçao triunfo(5)

. paixões proibidas(7)

. paula lobo antunes(6)

. paula neves(6)

. paulo pires(7)

. pedro granger(6)

. pedro miguel ramos(8)

. pedro teixeira(10)

. ricardo pereira(16)

. rita andrade(5)

. rita pereira(20)

. rodrigo menezes(6)

. rtp(43)

. rtp1(30)

. rtp2(5)

. ruy de carvalho(5)

. são josé correia(11)

. shakira(8)

. sic(71)

. silvia alberto(11)

. sofia alves(9)

. sonia araujo(6)

. soraia chaves(24)

. tempo de viver(9)

. tu e eu(8)

. tvi(126)

. vila faia(5)

. todas as tags

.Links:

blogs SAPO

.subscrever feeds